domingo, 8 de novembro de 2009

UFOLOGIA ATUAL

Eis um pequeno trecho de nosso livro, para observação dos colegas. Ele vai às páginas 38 e 39:

"A Ufologia que surgiu na metade do século passado seguramente não acompanhou a tendência vertiginosa das transformações; encontra-se, isto sim, em permanente estado de imóvel suspensão. Se atentarmos bem, e recorrendo às obras de Campbell, poderíamos dizer que talvez esteja vivendo o seu “rito de passagem” rumo a outro universo de estudos. Para acompanhar e entender essa transição, a palavra de ordem é lucidez, escorada por discernimento, equilíbrio, foco e responsabilidade, ou, como aconselhava Kant, perseverança e rigor. Para a Ufologia conquistar o respeito que tanto pede, precisa eliminar os aspectos mais nocivos que tomaram de assalto todo o corpo da História. Para cada tese, uma antítese, para cada mal, uma vacina. Há que se buscar a síntese. A dialética surge como instrumento neutro, catalisador e polarizador das discussões. “A dialética repousa nas contradições internas, ou nos opostos, presentes em todas as áreas da vida humana”16. A perspectiva é otimista, a expectativa, nem tanto. É preciso usar a razão, mais que a ciência ou o método científico, para absorver de forma plena o impacto que a realidade do fenômeno exerce sobre nossa existência. Há que se ir ao encontro do Óvni, e não de encontro. A Ufologia não é o que parece ser, e não se parece com nada do que está aí. Nenhum mistério pode ser mapeado, e o fenômeno também não. Pelo menos por enquanto. Mas, como diz Nicholas Fearn, ´consegue-se convencer muita gente de praticamente qualquer coisa, contanto que não se empregue uma argumentação racional´ (FEAM, N.)."

Nenhum comentário:

Postar um comentário